Temas

    • AIDS

      Um defeito adquirido da imunidade celular associado com a infecção pelo vírus da imunodeficiência adquirida humana (HIV), uma contagem de linfócitos T CD4-positivo abaixo de 200 células/microlitro ou menos do que 14 por cento do total de linfócitos além de um aumento na susceptibilidade a infecções oportunísticas e neoplasias malignas. As manifestações clínicas incluem também emaciação e demência. Esses elementos refletem os critérios para AIDS de acordo com o CDC em 1993.

    • Histoplasmose

      Infecção resultante da inalação ou, infreqüentemente, da ingestão de esporos de HISTOPLASMA capsulatum. Mundial em distribuição, ela é particularmente comum no meio-oeste dos Estados Unidos. A infecção é assintomática na maioria dos casos, mas em 1-5 por cento ela causa pneumonia aguda, ou hiperplasia reticuloendotelial disseminada com hepatosplenomegalia e anemia, ou uma doença semelhante a gripe com derrame articular e eritema nodoso. A infecção reativada, como em pacientes imunocomprometidos, compromete os pulmões, meninges, coração, peritônio e supra-renais nessa ordem de freqüência. Ela pode ser diagnosticada por cultura ou pela demonstração de uma elevação nos títulos de anticorpo fixador de complemento no soro. (Dorland, 28ª ed)

    • Cólera

      Uma doença diarréica, aguda e endêmica na Índia e sudeste asiático cujo agente causador é o VIBRIO CHOLERAE. Essa condição pode levar a uma desidratação grave numa questão de horas se não for rapidamente tratada.

    • Leishmaniose

      Uma doença causada por qualquer uma das espécies de protozoários do gênero LEISHMANIA. Há quatro tipos clínicos principais dessa infecção: cutânea, (LEISHMANIOSE CUTÂNEA), cutânea difusa (LEISHMANIOSE CUTÂNEA DIFUSA), mucocutânea (LEISHMANIOSE MUCOCUTÂNEA) e visceral (LEISHMANIOSE VISCERAL).

    • Coqueluche

      Uma infecção respiratória causada pela BORDETELLA PERTUSSIS e caracterizada por tosse paroxística que termina numa inspiração prolongada e estridulosa (tosse comprida).

    • Leptospirose

      As infecções causadas por bactérias do gênero LEPTOSPIRA.

    • Dengue

      Classicamente, uma doença aguda autolimitada (tipicamente com duração de 5-7 dias), caracterizada por febre, prostração, cefaléia, mialgia, erupção cutânea, linfadenopatia e leucopenia, que é causada por quatro tipos de vírus de dengue antigenicamente relacionados, porém distintos. A dengue ocorre epidêmica e esporadicamente na Índia, Japão, África Ocidental, região do Mediterrâneo oriental, sudeste da Ásia, Indonésia, nordeste da Austrália, Polinésia, Caribe, e norte da América do Sul. Ela é transmitida pela mordida de mosquitos infectados do gênero Aedes, especialmente A. aegypti, A. albopictus, A. polynesiensis, A. scutellaris e A. hakanssoni. (Dorland, 28ª ed)

    • Malária

      Uma doença por protozoários causada por quatro espécies do gênero PLASMODIUM: P. falciparum (MALÁRIA FALCIPARUM), P. vivax (MALÁRIA VIVAX), P. ovale e P. malarie. Ela é transmitida pela picada da fêmea do mosquito do gênero Anopheles. A malária é endêmica em partes da Ásia, África, América Central e do Sul, Oceania e certas ilhas do Caribe. Ela é caracterizada por uma exaustão extrema associada a paroxismos de febre alta, suor, calafrios e anemia.

    • Difteria

      Uma infecção localizada das membranas mucosas ou da pele causada por cepas toxigênicas do CORYNEBACTERIUM DIPHTHERIAE. Ela é caracterizada pela presença de uma pseudomembrana no sítio de infecção. A TOXINA DIFTÉRICA, produzida pelo C. diphtheriae, pode causar miocardite, polineurite e outros efeitos tóxicos sistêmicos.

    • Meningite

      Inflamação das coberturas do cérebro e/ou medula espinhal, que consistem da PIA MATER; ARACNÓIDE e DURA MATER. As infecções (viral, bacteriana e fúngica) são as causas mais comuns desta condição, porém hemorragias subaranóides (HEMORRAGIAS SUBARACNÓIDES), irritação química (MENINGITE química), condições granulomatosas, condições neoplásicas (ex., meningite carcinomatosa) e outras condições inflamatórias podem também produzir esta síndrome.

    • Doença de Chagas

      Uma forma de tripanossomose endêmica nas Américas Central e do Sul, causada por TRYPANOSOMA CRUZI. Pode seguir um curso agudo ou crônico, o primeiro comumente em crianças.

    • Peste

      Uma doença infecciosa causada pela YERSINIA PESTIS que afeta humanos, roedores silvestres e seus ectoparasitas. Essa condição persiste uma vez que o ecossistema formado entre o roedor silvestre e a pulga encontra-se arraigado ao redor do globo. A peste bubônica é a forma mais comum.

    • Escabiose

      Uma inflamação cutânea contagiosa causada pela picada do piolho SARCOPTES SCABIEI. Ela é caracterizada por erupções papulares com prurido e escavações na pele principalmente nas axilas, cotovelos, punhos e genitália embora ela possa se espalhar e cobrir o corpo inteiro.

    • Poliomielite

      Uma doença infecciosa aguda em humanos, particularmente crianças, causada por qualquer um dos três sorotipos do poliovirus humano. (POLIOVIRUS HUMANO 1-3). Normalmente, a infecção é limitada ao trato gastrointestinal e nasofaringe e é freqëntemente assítomática. O sistema nervoso central, principalmente a medula espinhal, pode ser afetado, levando a uma paralisia rapidamente progressiva, FASCICULAÇÕES grosseiras e hiporeflexia. Os neurônios motores são afetados primariamente. A encefalite também pode ocorrer. O vírus se replica no sistema nervoso e pode causar perda neuronal significativa, marcadamente na medula espinhal. Uma condição correlata rara, a poliomielite que não é originada por poliovirus, pode resultar de infecções por enterovirus que não são poliovirus.

    • Esquistossomose

      A infecção por trematódeos do gênero SCHISTOSOMA. Três espécies produzem as doenças clínicas mais freqüentes: SCHISTOSOMA HAEMATOBIUM (endêmica na África e no Oriente Médio), SCHISTOSOMA MANSONI (no Egito, ao sul e ao norte da África, alguns ilhas nas Índias Orientais, nos dois terços da região norte da América do Sul), SCHISTOSOMA JAPONICUM (no Japão, China, as Filipins Celebes, Thailândia e Laos). S mansoni é freqüentemente visto em pessoas nascidas em Porto Rico e que moram nos Estados Unidos.

    • Raiva

      Uma doença infecciosa aguda do sistema nervoso central que afeta quase todos os mamíferos, inclusive o homem, causada por um rabdovírus, e geralmente disseminada pela contaminação com saliva carregada de vírus de mordidas infligidas por animais raivosos, embora a infecção por aerossol pela via respiratória e transmissão através de transplantação ou ingestão de tecidos infectados possa ocorrer. Animais vetores importantes incluem o cão, gato, morcego vampiro, mangusto, gambá, lobo, guaxinim e raposa. O período de incubação em humanos e animais é altamente variável, dependendo do tamanho do inóculo e do local da mordida, sendo mais curto após uma mordida mais próxima ao cérebro do que após uma mais distante. Os sinais típicos exibidos pelos indivíduos raivosos incluem parestesia e sensação de ardência ou dor no local da inoculação; períodos de hiperexcitabilidade, agitação, delírio, alucinações e comportamento bizarro, entre os quais o indivíduo muitas vezes é cooperativo e lúcido; espasmos dolorosos dos músculos faríngeos e laríngeos, hipersalivação, e medo provocado por tentativas de beber ou mesmo pela visão de líquidos (hidrofobia); convulsões; meningismo; paralisia; e coma. A recuperação é extremamente rara, a morte geralmente sendo associada com depressão respiratória progressiva e insuficiência cardiorrespiratória. (Dorland, 28ª ed)

    • Febre Amarela

      Uma doença infecciosa aguda primariamente dos trópicos, causada por um vírus e transmitida ao homem por mosquitos do gênero Aedes e Haemagogus.

    • Rubéola

      Uma doença infecciosa aguda, usualmente benigna, causada por um togavírus e mais freqüentemente afetando crianças e adultos jovens não-imunes, nos quais o vírus entra no trato respiratório através de núcleos de gotículas e dissemina-se ao sistema linfático. É caracterizada por um resfriado leve, dor de garganta e febre, seguidos por aumento dos gânglios linfáticos pós-auriculares, suboccipitais e cervicais e o aparecimento de uma delicada erupção cutânea que começa na cabeça e espalha-se para tornar-se generalizada. A infecção transplacentária do feto como resultado de infecção materna no primeiro trimestre pode causar a morte do concepto ou anormalidades graves do desenvolvimento no recém-nascido. (Dorland, 28ª ed)

    • Filariose

      As infestações por parasitas do sistema linfático humano causadas pela WUCHERERIA BANCROFTI ou BRUGIA MALAYI. Ela também é chamada de filaríase linfática (ou filariose linfática).

    • Sarampo

      Uma doença infecciosa altamente contagiosa causada por paramixovírus, comum em crianças, mas também vista não-imune em qualquer idade, na qual o vírus entra no trato respiratório via núcleos de gotículas e multiplica-se nas células epiteliais e dissemina-se por todo o sistema reticuloendotelial, produzindo hiperplasia linfóide muitas vezes acompanhada por características células gigantes de Warthin-Finkeldey. Caracteristicamente, coriza, linfadenite cervical, manchas de Koplik, conjuntivite palpebral, fotofobia, mialgia, mal-estar e uma tosse atormentadora com febre subindo firmemente precedem a erupção cutânea. A erupção típica consiste em lesões maculopapulares generalizadas que são a princípio individualizadas mas gradualmente tornam-se confluentes, que inicialmente começa atrás das orelhas e na face antes de progredir rapidamente pelo tronco abaixo e para extremidades. Embora o sarampo seja usualmente benigno, complicações podem ocorrer, às vezes incluindo infecções bacterianas secundárias na forma de otite média, pneumonia ou laringite; uma rara pneumonia fatal de células gigantes, muitas vezes sem um exantema, em crianças imunocomprometidas; e raramente panencefalite esclerosante subaguda que pode desenvolver-se anos após uma infecção inicial por sarampo. (Dorland, 28ª ed)

    • Hanseníase

      Uma infecção granulomatosa crônica causada pelo MYCOBACTERIUM LEPRAE. As lesões granulomatosas são manifestas na pele, nas membranas mucosas e nos nervos periféricos. Há dois tipos polares ou principais: a lepromatosa e a tuberculóide.

    • Tétano

      Uma doença causada pela tetanospasmina, uma toxina protéica potente produzida pelo CLOSTRIDIUM TETANI. O tétano ocorre freqüentemente após um ferimento agudo, tal como uma ferida por perfuração ou por laceração. O tétano generalizado, a forma mais comum, é caracterizado por contrações musculares tetânicas e hiperreflexia. O tétano localizado apresenta-se como uma condição atenuada com manisfestações restritas dos músculos próximos ao ferimento. Ele pode progredir para a forma generalizada.

    • Hepatite

      A inflamação do fígado e doença hepática envolvendo alterações necróticas ou degenerativas dos hepatócitos.

    • Toxoplasmose

      A forma adquirida de infecção por Toxoplasma gondii em animais e no homem

    • Herpes

      Dermatose inflamatória caracterizada pela formação de pequenas vesículas que se apresentam em grupo. (Aurélio, 2ª ed)

    • Tuberculose

      Qualquer uma das doenças infecciosas em homens e outros animais causadas por espécies de MYCOBACTERIUM.